uma tarde de outono.

sentada,abraçando as pernas ficou imóvel.
olhando o por do sol da varanda,
e ficou olhando por tanto tempo,
que lágrimas começaram a cair,e escorrer pelo rosto..
e não as enxugou,deixou que o próprio sol as secassem.
mas sabia que nem sempre quem a faz derramar lágrimas,
vai querer enxuga-las depois.
e então sorriu,viu o sol ir embora,
comprimentou o véu escuro que se estendia,
e foi dormir.